“Deixa a vida exprimir-se sem disfarce” – José Régio em diálogo com o seu tempo

Cartaz pedro lamares

Cartaz pedro lamares

Data: 21 dezembro 2019

Horário: 21:30

Local: Auditório Municipal de Vila do Conde

Em arte, é vivo tudo o que é original. É original tudo o que provém da parte mais virgem, mais verdadeira e mais íntima duma personalidade artística. A primeira condição duma obra viva é pois ter uma personalidade e obedecer-lhe

 

Assim começa Literatura Viva, o manifesto assinado por José Régio que dava  a nota de intenções de uma recém-fundada Revista Presença – folha de arte e crítica que Eduardo Lourenço veio a descrever como “uma contra-revolução do modernismo português”.

 

José Régio foi um homem comprometido com o seu tempo, os valores sociais, a busca da liberdade e os conflitos entre o Homem e Deus. Para além de uma vasta obra literária, fez uma tese académica onde se referia a uns quase desconhecidos Fernando Pessoa e Mário de Sá Carneiro como nomes maiores da poesia portuguesa, fundou e dirigiu a Presença, que veio a dar nome a uma geração, participou e presidiu a tertúlias artísticas, foi cantado por Amália e trabalhou com Manoel de Oliveira.

 

Deixa a vida exprimir-se sem disfarce é um espectáculo de homenagem a José Régio. Um olhar de três artistas sobre a palavra e o pensamento de um homem que, tendo cantado a solidão e a independência, viveu em permanente diálogo com o seu tempo.

 

Não sei por onde vou
Não sei para onde vou
Sei que não vou por aí

 

Ficha artística
Direcção artística Pedro Lamares
Criação e interpretação Pedro Lamares, Carolina Rocha e Carlos Correia
Direcção técnica e desenho de luz Joaquim Madaíl
Produção Maria Miguel Coelho
Projecto Casca de Noz

Comments are closed.

“Deixa a vida exprimir-se sem disfarce” - José Régio em diálogo com o seu tempo | José Régio | Evocação dos 50 anos da sua morte