7ª Edição do Ciclo de Cinema “José Régio e o Cinema”

Data: 30 junho 2020

Horário:  21h30 

Local: Centro de Artes e Espetáculos de Portalegre

O Último dos Homens de F.W. Murnau (1924), com introdução e comentários de Raul Ladeira

 

O ciclo de cinema “José Régio e o Cinema” é composto por várias sessões de visualização de filmes relacionados com o autor (a escolha dos filmes visará a obra literária do autor transposta para o cinema; o prisma enquanto crítico de cinema e filmes que com este se relacionam e/ou relacionaram). Introdução e comentários dos filmes a visualizar, por críticos e estudiosos de cinema.

 

 

Produção:
Título original: Der Letzte Mann [Título inglês: The Last Laugh]; País: República de Weimar (Alemanha); Ano: 1924; Duração: 86 minutos [versão restaurada: 101 minutos];  Estreia: 23 de Dezembro de 1924 (Alemanha), 8 de Novembro de 1926 (Portugal, Cinema Tivoli).

Equipa técnica:
Realização: F. W. Murnau; Produção: Erich Pommer; Argumento: Carl Mayer; Música Original: Giuseppe Becce; Fotografia: Karl Freund; Direcção Artística: Robert Herlth, Walter Röhrig.

Elenco:
Emil Jannings (o Porteiro), Maly Delschaft (a sua sobrinha), Max Hiller (o noivo dela), Emilie Kurz (a tia do noivo), Hans Unterkircher (gerente do hotel), Olaf Storm (jovem hóspede), Hermann Vallentin (hóspede barrigudo), Georg John (Guarda nocturno), Emmy Wydaa (vizinha magra).

Sinopse:

O porteiro do hotel Atlantic é um homem idoso, mas orgulhoso do seu trabalho, e por ele respeitado e admirado no bairro pobre onde vive.

Um dia, recebe a notícia que devido à sua avançada idade deve mudar de funções, passando à equipa de limpeza, ficando como assistente nas casas de banho. A notícia devasta completamente o porteiro, que vê a demoção como uma ferida no seu orgulho.

Num acto de dor, rouba o seu uniforme, e usa-o para regressar a casa, assim mantendo a aparência de que nada mudou. Um dia a mulher vai procurá-lo no hotel para lhe levar comida, e aí descobre a verdade. Desconsolada volta a casa para contar à filha, tendo sido ouvida pelas vizinhas.

Nessa noite, ao regressar a casa, o velho porteiro é motivo de chacota da vizinhança que o sabia caído em desgraça. Mal recebido em casa, ele vai dormir para a casa de banho do hotel, onde só o guarda nocturno o trata bem.

Pouco resta ao velho porteiro como motivo para continuar a viver, mas inesperadamente recebe uma herança milionária de um hóspede que morreu nos seus braços na casa de banho. O velho porteiro passa então a ostentar a fortuna comendo principescamente no restaurante do hotel, convidando para o seu lado o guarda nocturno, única pessoa que o tinha ajudado nos dias maus, e não hesitando em dar dinheiro a todos os que visse como vítimas do gozo dos mais favorecidos.

Ciclo de cinema - O último dos Homens - José Régio Eventos

Comments are closed.

7ª Edição do Ciclo de Cinema “José Régio e o Cinema” | José Régio | Evocação dos 50 anos da sua morte